Últimas Postagens :

    Arquivo do blog

    02/09 - Lc 4,31-37

    2 de Setembro de 2014

    evandia

    Lucas 4,31-37

    Jesus desceu para Cafarnaum, cidade da Galileia, e lá os ensinava, aos sábados. Eles ficavam maravilhados com os seus ensinamentos, pois sua palavra tinha autoridade. Na sinagoga estava um homem que tinha um espírito impuro, e ele gritou em alta voz: “Que queres de nós, Jesus de Nazaré? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus!” Jesus o repreendeu: “Cala-te, sai dele!” O demônio então lançou o homem no chão e saiu dele, sem lhe fazer mal algum. Todos ficaram espantados e comentavam: “Que palavra é essa? Ele dá ordens aos espíritos impuros, com autoridade e poder, e eles saem”. E sua fama se espalhava por todos os lugares da redondeza.

    Entendendo

    A AUTORIDADE DE JESUS
    DEIXA OS GALILEUS MARAVILHADOS!

    Jesus fala e realiza curas e milagres com autoridade. Suas palavras são acompanhadas de obras em favor daqueles que sofrem qualquer tipo de escravidão. No Evangelho de hoje, uma pessoa está toda envolvida (corpo e alma) pelo mal. Se ficasse somente nos discursos, certamente o Mestre não teria tanta credibilidade.

    Os que assistem a cena ficam maravilhados e comentam a autoridade com que aquele o Mestre falava, pois até os espíritos maus Lhe obedecem.

    Dois motivos faziam com que a palavra de Jesus tivesse autoridade e ganhasse credibilidade. Primeiro: sua coerência de vida - as pessoas viam que Ele ensinava o que vivia. Segundo: o ensinamento d’Ele comunicava algo extraordinário - o sopro do Espírito que vinha do seu interior.

    Atualizando

    A AUTORIDADE É UMA
    CONQUISTA DO NOSSO PROCEDER!

    Quando falamos em autoridade vem logo em nossa mente pessoas que exercem cargos de poder na hierarquia das instituições, governos, entidades... Elas podem “estar” autoridade, mas não “serem” autoridades.

    Autoridade, do ponto de vista cristão, se conquista com o proceder e com a ligação harmoniosa com Deus.

    Uma pessoa pode ter um grau elevado de inteligência, ser competente na área que atua, ser badalada na mídia, chegar ao escalão mais alto de uma nação... No entanto, se os seus atos não correspondem ao seu proceder, mais cedo ou mais tarde, ela perderá credibilidade e, consequentemente, sua autoridade diante daqueles que um dia acreditaram nela.

    A autoridade se conquista pelo proceder e não pelas palavras, pela condição social, pelo nome de família, pela função que exerce...

    Somos humanos e, como humanos, temos limites. É aí que começa a participação divina que nos ajuda a clarear rumos. Por mais que sejamos capacitados, o intelecto e a matéria não são suficientes para protagonizar a nossa história, e manter nossa autoridade.

    Na história da humanidade, caíram todos os reinos potentes: egípcio, babilônico, romano... Os sistemas de governo: monárquico, socialista, comunista... O capitalismo já dá sinais de declínio. No entanto, o “sistema de governo” implantado por Jesus, o reino de Deus, continua e jamais será banido, porque é divino, porque é autoridade.

    As escolas e especializações do mundo jamais serão capazes de dar ao homem “autoridade”, se ela não vier da força do Alto. Humanamente falando a autoridade se conquista com o proceder de uma vida íntegra; no entanto, só é possível essa integridade se a pessoa tiver a humildade e a sabedoria de buscar em Deus sua razão maior.

    02/09 - Bem-aventurada Ingrid

    2 de Setembro de 2014

    Bem-aventurada Ingrid

    clip_image002

    “Da riqueza e do luxo, para a caridade e oração”

    Ingrid nasceu na metade do século XIII, numa família nobre e de destaque, em Elovsdotter, na Suécia. Seus pais eram cristãos e deram a Ingrid e aos outros filhos uma educação de fidalgos e muito disciplinada no seguimento de Cristo. A menina, desde os primeiros anos de vida, mostrou-se muito virtuosa, amável e caridosa.

    No início da adolescência, como era costume da época, obedeceu aos seus pais e casou-se com um homem muito rico. Mesmo contrariando sua vocação, ela aceitou tudo com humilde resignação, mas não deixou que o mundo de luxo, futilidades e poder contaminassem sua alma, apesar de ter de conviver nele. Continuou, serenamente, a cuidar das obras de caridade que fundara para os pobres e doentes abandonados, e os atendia pessoalmente. Sua fama na região era de santidade, pois possua dons especiais de profecia e cura.

    Ficou viúva e esse estado de vida lhe trouxe plena realização, pois podia realizar desejos vocacionais que, como esposa, não poderia. Peregrinou à Terra Santa, seguindo depois para Roma e, por fim, a Santiago de Compostela. Essa viagem fez com que seu amor por Jesus aumentasse ainda mais, decidiu fazer seus votos perpétuos e fundar um mosteiro em Anninge, na Suécia, dedicando-se totalmente às orações e à vida rigorosa.

    Morreu com fama de santidade, no dia 2 de setembro de 1282, no seu convento, em Skanninge. Seu culto se espalhou depressa entre as populações vizinhas e difundiu-se entre os devotos. Ingrid foi proclamada Bem-aventurada pelo papa Alexandre VI.

    02/09 - Dia do Repórter Fotográfico

    2 de Setembro de 201

    Dia do Repórter Fotográfico

    clip_image002

    O repórter fotográfico é o profissional que consegue registrar fatos e acontecimentos marcantes, capturando as imagens no exato momento em que os mesmos acontecem.

    As imagens podem ser: fatos políticos, históricos, sociais, esportivos, culturais, ou da natureza, dentre outros. Retratarem: alegria, sofrimento, dor, esperança, etc.

    A história da fotografia surgiu através do físico francês Joseph Nicéphore Niépce, em 1816, através da “transformação de compostos químicos sob a ação da luz”.

    A fotografia é importante para a atividade jornalística, pois serve para complementar a ideia do texto, bem como para comprovar a veracidade dos fatos.

    Ao longo dos anos, o fotojornalismo tornou-se um estilo de trabalho que se baseia no uso das imagens fotográficas para se veicular as notícias. O surgimento dessa área se deu através do britânico Roger Fenton, que fotografou a Guerra de Crimeia, no período de 1853 a 1856.

    A primeira publicação de uma imagem em um veículo de comunicação aconteceu em 1880, através do jornal Daily Herald, de Nova Iorque, com a finalidade de inovar seu estilo de publicação, buscando chamar uma maior atenção dos leitores.

    Porém, a genialidade da ideia somente se tornou popular com a chegada do século XX, e a invenção da primeira máquina fotográfica portátil, a Kodak, que podia ser facilmente carregada por todos os lados.

    As primeiras máquinas só fotografavam em preto e branco. Mais adiante, o homem inventou o filme, que possibilitava a revelação em cores, chegando aos modelos da atualidade, os digitais, que capturam as imagens através da memorização das mesmas.

    Independente da forma de atuação do repórter fotográfico, seu trabalho é muito importante para a população, pois registra os fatos como eles realmente acontecem, trazendo-nos a possibilidade de tomar conhecimento dos mesmos.

    Fonte: www.brasilescola.com

    01/09 - Lc 4,16-30

    1 de Setembro de 2014

    evandia

    Lucas 4,16-30

    Foi então a Nazaré, à sinagoga e levantou-se para fazer a leitura do profeta Isaías: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar um ano da graça de Senhor”. Então, começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir.” E perguntavam: “Não é este o filho de José”? Ele, porém, dizia: “Sem dúvida, me citareis o provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’. Tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum, faze também aqui, na tua terra!” E acrescentou: “Em verdade, vos digo que nenhum profeta é aceito na sua própria terra... havia muitas viúvas em Israel. No entanto, a nenhuma delas foi enviado o profeta Elias, senão a uma viúva em Sarepta, na Sidônia. E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel, mas nenhum deles foi curado, senão Naamã, o sírio”. Ao ouvirem estas palavras, na sinagoga, todos ficaram furiosos. Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no para o alto do morro com a intenção de empurrá-lo para o precipício. Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

    Entendendo

    JESUS REVELA O SEU PROJETO DE VIDA

    Jesus retorna para sua terra e, numa sinagoga, abre o livro do profeta Isaías e localiza o trecho onde o profeta prevê o cumprimento de uma profecia. Essa afirmação de Jesus ganha repercussão, porque naquele momento Ele anunciava o seu projeto de vida, ou seja, o que Ele veio fazer entre nós.

    “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar um ano da graça de Senhor”.

    A partir do anúncio público de sua missão Jesus parte para o cumprimento do que prometeu: anunciar a Boa Nova, o Evangelho é sua missão primeira, pois a humanidade precisava conhecer Deus, já que havia uma visão distorcida do Criador, como um Ser distante e carrasco.

    O anúncio vem acompanhado de obras. As obras de Jesus priorizam os mais fragilizados, os pobres, pecadores públicos, excluídos da sociedade. Curas e milagres extraordinários são feitos para recuperar a vida das pessoas e mostrar o poder de Deus.

    Após a revelação de seu projeto, em sua terra natal, Jesus faz um desabafo e uma constatação: nenhum profeta tem o seu valor reconhecido entre os seus parentes e conterrâneos. O povo fica indignado e reage contra Ele.

    Atualizando

    A AUSÊNCIA DE UM PROJETO DE VIDA TORNA A PESSOA
    ALIENADA E CARENTE DOS OUTROS PARA DECIDIREM POR ELA!

    Toda pessoa é livre para escolher o que quer ser e o que quer fazer com sua vida. Todos necessitam projetar-se para crescer. Somente quando vivem intensamente determinados ideais, são capazes de optar com decisão.

    O projeto de vida é um convite a tomar a vida nas próprias mãos e a descobrir a grandeza de decidir sobre a própria existência de um modo autônomo e comprometido e, por isso mesmo, pessoal e comunitário. A ausência de projeto leva a uma vida alienada, onde os outros decidem por mim.

    A pessoa humana é um ser aberto à transcendência, foi criada para ir além de si mesma, a realizar um desejo de felicidade e plenitude. Aberta ao infinito..., como se alguém a chamasse de longe e, ao mesmo tempo, desde o mais profundo de si mesma.

    A vida só pode fazer-se projeto a partir de um valor que comprometa o melhor da pessoa. Uma vida verdadeira e autêntica se expressa na vivencia de valores que dão significado a própria existência. Para nós cristãos, esse ponto de partida está em Deus, e se manifesta publicamente na revelação em Jesus Cristo.

    O seguimento de Jesus nasce do encontro pessoal com Ele vivo, aqui, agora, fazendo parte da nossa história. É este o Cristo ressuscitado. Não é mais aquele do crucifixo, pregado, sangrando na cruz, embora tenhamos que contemplá-lo e reconhecer que também faz parte da caminhada.

    O projeto de vida cristã realiza-se em um processo de mudança contínua, é o que chamamos de conversão... Cada tempo oferece seu dinamismo. A maneira que algo se realizava a 20 anos, não é mais a de hoje. Para isso, necessita flexibilidade, abertura, sabedoria. O que não deve mudar é a opção fundamental do projeto.

    Quando Jesus chama a segui-lo, tudo se relativiza e passa a um segundo plano: “imediatamente deixaram as redes e começaram a segui-lo” (Mt 4, 18-22). Tudo: futuro, relações, afetos, trabalho, possibilidades, capacidades, se reordena em função dele. Não se trata de acomodar o projeto de Jesus à própria vida, e sim de acomodar a própria vida ao projeto de Jesus.

    A vida cristã exige pôr em ação, meios que façam possíveis uma permanente conversão: oração, comunidade, formação, atualização, discernimento, compromisso, trabalho. Estes meios são espécie de máquina que dão sustentação ao projeto pessoal de cada pessoa de fé.

    01/09 - Santa Beatriz da Silva Menezes

    1 de Setembro de 2014

    Santa Beatriz da Silva Menezes

    clip_image002

    “Num momento de sofrimento, a visita de Nossa Senhora e a incumbência de fundar uma Ordem Religiosa”

    Beatriz nasceu em 1424, em Ceuta, uma cidade que pertencia a Portugal. Sua família era de destaque na sociedade portuguesa. Seu pai, Rui Gomes da Silva, era comandante do exército; e sua mãe se chamava Isabel de Menezes. Ao completar vinte anos, Beatriz foi para a corte da Espanha, pois sua tia Isabel, infanta de Portugal, que se casara com o rei de Castela, convidou a sobrinha para ser sua primeira dama de honra. Muito virtuosa e piedosa, achava que a vida do palácio não era muito compatível com seu jeito de ser e pensar, mas aceitou a nova função. E foi aí que sua provação iniciou.

    Beatriz era uma jovem muito bela fisicamente, além de ser amável, culta, inteligente e educada nas virtudes cristãs. Logo que chegou, despertou a admiração de todos, o que provocou o ciúme e a inveja da rainha, sua tia, que passou a maltratá-la e até a castigá-la sem razão alguma. Beatriz a tudo suportou sem falar nada para ninguém. Certa ocasião, a soberana tentou asfixiá-la, mantendo-a presa durante três dias numa arca sem ventilação, água e comida. Mas obrigada pelas circunstâncias, teve de soltar a sobrinha. Naquele período, Beatriz recebeu a graça de uma aparição de Nossa Senhora e a incumbência de fundar uma Ordem religiosa dedicada à Imaculada Conceição.

    Imediatamente, deixou a corte e ingressou no Mosteiro de São Domingos, em Toledo. Uma vez aceita, cobriu seu rosto com um véu branco por toda a vida. Depois de trinta anos, conseguiu realizar a missão que a Virgem Maria lhe confiara.

    Porém, dez dias antes da cerimônia em que todas professariam a nova Ordem, Beatriz teve uma nova aparição da Virgem Maria, que lhe comunicou que ela morreria na data da festa. Por isso professou os votos na véspera desse primeiro grupo e morreu feliz, no dia 1º de setembro de 1490. A fundadora sabia que tinha deixado na terra uma semente, recebida das mãos da Virgem Maria, e que germinaria pelos séculos afora, no mundo todo.

    Desde que se afastou da Corte, Beatriz havia adotado o costume de conservar sempre o rosto coberto, para evitar que sua beleza fosse ocasião de pecado.

    Bem próximo de sua morte, quando recebia a Unção dos Enfermos, descobriram-lhe o rosto e, para grande surpresa, constatou-se que ela, embora tivesse mais de 60 anos de idade, tinha conservado a mesma fisionomia de jovem. Deus quis, por esse milagre, mostrar como Lhe era agradável e incorrupta a pureza de Santa Beatriz.

    01/09 - Dia do Professor de Educação Física

    1º de Setembro de 2014

    Dia do Professor de Educação Física

    clip_image002

    As atividades esportivas fazem bem para o homem, pois através delas é possível obter equilíbrio físico e emocional. Além disso, são formas de envolver jovens e crianças, afastando-os das drogas e da promiscuidade.

    Para se praticar esportes é necessário que um profissional da área da educação física faça uma orientação e avaliação, de acordo com as capacidades de cada um, dos limites que o corpo de cada pessoa pode suportar e vencer.

    A comemoração do dia do professor de educação física acontece no dia 1º de setembro, em razão de a profissão ter sido regulamentada através da lei federal de número 9.696/98 e publicada na mesma data.

    A ideia da data surgiu na comemoração de São Cosme e São Damião, pois nesse dia os professores de educação física organizavam brincadeiras para divertir a garotada, entregando-lhes várias guloseimas e doces.

    No Brasil, historicamente falando, consideram que desde o período da colonização a educação física era praticada em nossas terras.

    Os índios corriam atrás de suas caças, nadavam, atiravam arco e flecha e dançavam, jogavam peteca, lutavam entre si e brincavam de corrida dos troncos. Já os negros africanos, que vieram como escravos para o Brasil dançavam a capoeira e faziam as lutas corporais, aprendidas através da observação dos animais em seu país de origem.

    Mas somente em 1851, através da lei nº 630, é que a ginástica foi incluída nos currículos das escolas primárias e secundárias, e era praticada quatro vezes por semana.

    O campo de trabalho dos profissionais de educação física cresceu bastante nos últimos anos, eles deixaram de ser apenas professores de escolas ou academias, estendendo seu campo de atuação.

    Os professores de educação física são responsáveis por observar um aluno durante a prática de exercícios físicos, orientam a fazer alongamentos para aquecer a musculatura e evitar que se machuquem, corrigem a postura durante a realização dos exercícios, conferem os batimentos cardíacos dos atletas, verificam a respiração e o cansaço dos mesmos, não permitindo que ultrapassem seus limites.

    Fonte: www.brasilescola.com

    A AUTORIDADE É UMA CONQUISTA DO NOSSO PROCEDER!

    A AUTORIDADE É UMA
    CONQUISTA DO NOSSO PROCEDER!

    clip_image002

    Quando falamos em autoridade vem logo em nossa mente pessoas que exercem cargos de poder na hierarquia das instituições, governos, entidades... Elas podem “estar” autoridade, mas não “serem” autoridades.

    Autoridade, do ponto de vista cristão, se conquista com o proceder e com a ligação harmoniosa com Deus.

    Uma pessoa pode ter um grau elevado de inteligência, ser competente na área que atua, ser badalada na mídia, chegar ao escalão mais alto de uma nação... No entanto, se os seus atos não correspondem ao seu proceder, mais cedo ou mais tarde, ela perderá credibilidade e, consequentemente, sua autoridade diante daqueles que um dia acreditaram nela.

    A autoridade se conquista pelo proceder e não pelas palavras, pela condição social, pelo nome de família, pela função que exerce...

    Somos humanos e, como humanos, temos limites. É aí que começa a participação divina que nos ajuda a clarear rumos. Por mais que sejamos capacitados, o intelecto e a matéria não são suficientes para protagonizar a nossa história, e manter nossa autoridade.

    Na história da humanidade, caíram todos os reinos potentes: egípcio, babilônico, romano... Os sistemas de governo: monárquico, socialista, comunista... O capitalismo já dá sinais de declínio. No entanto, o “sistema de governo” implantado por Jesus, o reino de Deus, continua e jamais será banido, porque é divino, porque é autoridade.

    As escolas e especializações do mundo jamais serão capazes de dar ao homem “autoridade”, se ela não vier da força do Alto. Humanamente falando a autoridade se conquista com o proceder de uma vida íntegra; no entanto, só é possível essa integridade se a pessoa tiver a humildade e a sabedoria de buscar em Deus sua razão maior.

    Pe. Rosivaldo Motta, CSsR

    31/08 - Mt 16,24-28

    31 de Agosto de 2014

    evandia

    Mateus 16,24-28

    Jesus começou a mostrar aos discípulos que era necessário ele ir a Jerusalém, sofrer muito da parte dos anciãos, sumos sacerdotes e escribas, ser morto e, no terceiro dia, ressuscitar. Então Pedro o chamou de lado e começou a censurá-lo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isto nunca te aconteça!” Jesus, porém, voltou-se para Pedro e disse: “Vai para trás de mim, satanás! Tu estás sendo para mim uma pedra de tropeço, pois não tens em mente as coisas de Deus, e sim, as dos homens!” Então Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar sua vida a perderá; e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará. De fato, que adianta a alguém ganhar o mundo inteiro, se perde a própria vida? Ou que poderá alguém dar em troca da própria vida? Pois o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a sua conduta. Em verdade, vos digo: alguns dos que estão aqui não provarão a morte sem antes terem visto o Filho do Homem vindo com o seu Reino”.

    Entendendo

    “SE ALGUÉM QUER VIR APÓS MIM,
    RENUNCIE A SI MESMO, TOME SUA CRIZ E SIGA-ME!”

    Após um longo tempo de caminhada preparando os discípulos para continuarem a sua missão, era chegada “a hora da verdade”, ir a Jerusalém e ficar frente a frente com o poder religioso oficial, no Santuário de tradição do povo judeu. Sabendo da barra pesada que iria enfrentar, Jesus começa a preparar os discípulos para encarar o sofrimento.

    Ingenuamente, Pedro, querendo proteger Jesus, fala de livrá-Lo do sofrimento. Embora, aparentemente, inocente Pedro mostra que a sua concepção de vida ainda é distorcida, pois não quer encarar as lutas e batalhas para defender os valores de Deus. Jesus o recrimina forte e diz que a sua ideia não vem de Deus, mas do inimigo.

    Jesus fala de duas realidades no Evangelho de hoje. A vida na terra e a vida eterna. Mostra que a trajetória humana é um estágio temporário que fazemos e, a depender da nossa conduta, seremos felizes ou não.

    Em todo discurso e apresentação de Deus, Jesus defende o Pai como o Deus da justiça que dará a cada um, conforme suas obras. Revela a misericórdia do Pai e valoriza as ações mais simples, como importantes para nossa salvação: “Se deres um só copo de água a quem tem sede, não ficarás sem a recompensa”.

    “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar sua vida a perderá; e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará”.

    Renunciar a si mesmo – esta é a condição para ser salvo. E o que é renunciar a si mesmo? Renunciar a si mesmo não é negar a própria história, mas viver a sua existência, com tudo que a vida tem de bom a oferecer, no dinamismo da entrega a Deus e ao próximo.

    Renunciar a si mesmo é optar por fazer o outro viver e ser feliz; é lutar contra o instinto de preservação da própria vida; é optar por viver a vida de Deus, sem perder o que lhe é próprio; é viver os ensinamentos de Jesus como prioridade, a cada dia; é renunciar a todo tipo de egoísmo.

    Atualizando

    NÃO É FÁCIL RENUNCIAR A SI
    MESMO NUMA SOCIEDADE CONSUMISTA!

    Abrir mão dos sonhos não parece proposta que se faça, com intenção de fazer uma pessoa feliz. Porém, importante é saber que sonhos são esses!

    Como a maioria das pessoas que necessitam de conversão, temos nossos sonhos influenciados pela cultura e costumes mais comuns, promovidos pelos meios de comunicação de massa. Sonhos como ter uma casa mais espaçosa e melhor localizada; ganhar dinheiro fazendo o que gosta de fazer; comprar elementos de última geração...

    Muitas vezes tomamos como justificativa esse contexto consumista que impera na sociedade. Essa é uma tentação, pois por todos os lados, pela necessidade da indústria e do mercado de produzir e vender são oferecidos a nós, os mais variados bens de consumo, trazendo na propaganda promessas de felicidade em diversos "tamanhos e gostos diferentes".

    O apego aos bens tende a ser automático, numa sociedade constantemente estimulada a consumir, e consumir por diversos motivos os mais mesquinhos e emotivos, não simplesmente pela necessidade. Muitos de nós, senão todos nós, ao parar para observar o próprio comportamento, nota que é muito apegado a coisas, mesmo quem já tenha um alto grau de santidade.

    Recordo entre os colegas de escola, um que afirmou, com relação ao cantor Renato Russo (que já havia morrido na época), vestindo uma camisa com a foto deste: "Ele tinha tudo! Eu não tenho nada!" O cantor sem dúvida tinha talento, muito dinheiro, fama e sucesso. Agora, tudo não tinha de jeito nenhum. Obviamente "tudo" para este colega era fama, dinheiro e sucesso.

    Também hoje os exemplos são inúmeros, como no trabalho, mesmo entre pessoas que se dizem cristãs, o desejo de poder, de comer determinado doce, usar determinado sapato, e por aí vai.

    Em meio a tudo isso, renunciar a si mesmo, o que inclui naturalmente renunciar ao que possui, exige um esforço heroico, de certa forma semelhante aos santos mártires, que para seguir Cristo não aceitaram ceder à pressão da sociedade em que estavam inseridos, preferindo entregar suas próprias vidas.

    Fonte: secundumchrist.blogspot.com.br

    31/08 - São Raimundo Nonato

    31 de Agosto de 2014

    São Raimundo Nonato

    clip_image002

    O protetor das parturientes recebeu esse nome, por ter sido resgatado da barriga da mãe, já sem vida.

    Raimundo Nonato nasceu em Portoel, na Espanha, próximo a Barcelona, no ano 1204. Recebeu o nome de Raimundo Nonato, que significa “não nascido”, isso por ter sido tirado vivo da barriga da mãe, já morta. É, por isso, invocado como padroeiro das parturientes e das parteiras.

    Ainda menino, cuidava do gado e, durante seu pastoreio, visitava a ermida de São Nicolau, onde se venerava uma imagem de Nossa Senhora, de quem ele era devoto. Certamente passava momentos fortes de oração.

    Desde jovem Raimundo Nonato percebeu sua inclinação à vida religiosa. Seu pai buscou, sem êxito, impedi-lo de corresponder ao chamado vocacional. Ao entrar para a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, aos 24 anos, pode receber do fundador, São Pedro Nolasco, o hábito. Raimundo tornou-se exemplo de ardor na missão de resgatar das mãos dos mouros, os cristãos escravizados.

    Certa vez, São Raimundo conseguiu liderar uma missão que libertou 150 cristãos, porém, quando na Argélia acabaram-se os recursos para o salvamento daqueles que corriam o risco de perderem a vida e a fé, o missionário e sacerdote Raimundo se ofereceu em lugar de um deles. Na prisão, Raimundo pregava para os muçulmanos e cristãos com tanta unção que começou a convertê-los e, por isso, sofreu as consequências. Chegaram a perfurar seus lábios com um ferro quente, fechando-os com um cadeado.

    Mais tarde foi libertado da prisão e retornou a Espanha. Raimundo Nonato morreu com apenas 36 anos de idade, em 1240, e seu corpo sepultado na mesma ermida de São Nicolau.

    31/08 - Dia do Nutricionista

    31 de Agosto de 2014

    Dia do Nutricionista

    clip_image002

    Nutrição é a ciência que estuda os alimentos e os aplica às necessidades nutricionais do homem. E seu profissional é o nutricionista, responsável por planejar programas de alimentação, preparar dietas e cardápios, supervisionar a produção de alimentos e cozinhas de indústrias e restaurantes, além de acompanhar o regime alimentar de atletas.

    A importância desse profissional na preservação da vida sadia faz com que seja necessária sua presença em vários momentos e ambientes da sociedade, tais como: hospitais, clínicas, escolas, esportes e tantos outros.

    Fonte: www.quediaehoje.net

     

    Seja Missionário Redentorista

    Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
    Copyright © 2011. Pe. Rosivaldo Motta, CSsR - All Rights Reserved
    Template Created by Creating Website Modify by Tereza Morais
    Proudly powered by Blogger