Últimos Posts

Evangelho
Revendo a História

Evangelho

Santo do Dia

Revendo a História

Artigo da Semana

Recent Posts

domingo, 4 de dezembro de 2016

04/12 - Mt 3,1-12

04 de Dezembro de 2016


evandia

Mateus 3,1-12
 
Naqueles dias, apareceu João Batista, pregando no deserto da Judeia: “Convertei-vos, porque o Reino dos Céus está próximo”. João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse: “Esta é a voz daquele que grita no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas!” João usava uma roupa feita de pelos de camelo e um cinturão de couro em torno dos rins; comia gafanhotos e mel do campo. Os moradores de Jerusalém, de toda a Judeia e de todos os lugares em volta do rio Jordão vinham ao encontro de João. Confessavam seus pecados e João os batizava no rio Jordão. Quando viu muitos fariseus e saduceus vindo para o batismo, João disse-lhes: “Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou a fugir da ira que vai chegar? Produzi frutos que provem a vossa conversão. Não penseis que basta dizer: ‘Abraão é nosso pai’, porque eu vos digo: até mesmo destas pedras Deus pode fazer nascer filhos de Abraão. O machado já está na raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será cortada e jogada no fogo. Eu vos batizo com água para a conversão, mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu. Eu nem sou digno de carregar suas sandálias. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. Ele está com a pá na mão; ele vai limpar sua eira e recolher seu trigo no celeiro; mas a palha ele a queimará no fogo que não se apaga”.




            Entendendo


JOÃO BATISTA SURGE NO
DESERTO PREGANDO UM BATISMO DE CONVERSÃO

João Batista surge no deserto, às margens do rio Jordão e faz um convite que abrange a todos os corações que desejam mudança: Convertei-vos, porque está próximo o Reino dos Céus.

Durante toda a sua vida ele pregou aos homens e mulheres o arrependimento, preparando o povo para receber o Cristo da salvação esperada, em sua missão de Messias.

Suas palavras tocavam os corações ao ponto de levar as pessoas a se questionarem ou se incomodarem com suas palavras. Alguns reagiam mudando de vida e aderindo à nova proposta. Outros, como Heródes, sentiam nele uma ameaça e buscavam eliminá-lo.

 Como marca declarada de convenção e vida nova João Batista sugeria o Batismo, o renascimento pela água, como símbolo de purificação de um passado que deveria ser lavado.

Com a sua pregação ele atrai a si o povo, esvaziando assim o Templo e o sacerdócio de Jerusalém. Aos líderes religiosos, saduceus e fariseus que vêm a ele para espioná-lo, adverte que não se sintam justificados por se considerarem filhos de Abraão.



Atualização


A ÁGUA MANTÉM A VIDA HUMANA E ESPIRITUAL

A sociedade necessitou de uma crise hídrica para abrir os olhos quanto ao desperdício da água e todas as ações erradas praticadas contra o próprio Criador: o desmatamento, as queimadas, a substituição de vegetações nativas e tantas outras.

Campanhas em nível mundial e uma tomada de consciência forçada, nos quatro cantos do planeta, quanto à preservação do Meio Ambiente e a preocupação com a água são lançadas. Tarde demais, diante de tantos mananciais que já perdemos.

Tal estrago seria evitado se a água e suas fontes fossem valorizadas, não apenas como um elemento da natureza que mantém a nossa vida, mas como um presente de Deus para nos fazer preenchidos.


É ai que entra o sentido teológico. Não foi por acaso que a água foi utilizada por João Batista para batizar as pessoas que queriam receber o Cristo. Ela purifica a alma e traz a pureza de uma vida transformada.

04/12 - Santa Bárbara

04 de Dezembro de 2016

Santa Bárbara

clip_image001

 “Bárbara foi morta pelo próprio pai, por não abrir mão da fé em
Jesus Cristo”

    
Bárbara nasceu na Nicomédia, Bitínia, atual Turquia no século III. Era filha de Dióscoro, um homem rico e pagão, e desde a infância foi obrigada a participar de cultos em homenagem aos deuses pagãos. Bárbara cresceu em beleza e inteligência, o plano de seu pai era de arrumar um casamento para se beneficiar, mas Bárbara aprendeu os valores cristãos, e às escondidas, recebeu o batismo apegando-se aos ensinamentos de Jesus Cristo.

Quando seu pai descobriu que ela negava os deuses pagãos começou a agredi-la com severos castigos, tentando de toda forma obrigá-la a abandonar o cristianismo. Bárbara se negava a obedecê-lo, até que um dia seu pai a entregou ao governador romano Marciano.

            Impressionado com sua beleza, o governante, a princípio, evitou maltratá-la. Tentou a tática da conquista, não somente para sua religião, como também para si. Nada conseguindo começou a flagelá-la sadicamente, várias horas seguidas, durante dias inteiros.
           
Conta-se que Bárbara era confortada à noite por um anjo, de tal modo que no dia seguinte se apresentava ao governador como se nada tivesse acontecido no dia anterior. Irritado, Marciano mandou decapitá-la, e o carrasco foi seu próprio pai. Quando o golpe da espada do seu pai fez rolar sua cabeça, no mesmo instante foi morto por um raio que caiu sobre ele.


Por este motivo, santa Bárbara é invocada por seus devotos durante as grandes tempestades de raios e trovões. A sua tradicional festa acontece no dia 4 de dezembro.

04/12 - Dia do Perito Criminal

4 de Dezembro de 2016

     Dia do Perito Criminal
clip_image001

A Criminalística utiliza-se do conhecimento de profissionais com formação acadêmica em vários ramos da ciência, como também das suas próprias técnicas que estabelecem diversas metodologias para a execução dos exames periciais.

No início da estruturação da Criminalística, a formação de seus profissionais era genérica, no entanto, com o seu desenvolvimento e a complexidade dos crimes, aliados ao conhecimento tecnológico, estes passaram a ser executados com maior grau de sofisticação e, por consequência, exigindo dos peritos a especialização correspondente para fazer frente às necessidades de conhecimento que devem ser aplicados em cada caso.

Assim, surge no contexto pericial, a especialização profissional como forma de atender com maior eficácia a demanda existente. No entanto, para que esses especialistas atinjam seu grau de proficiência devem, primeiramente, conhecer genericamente toda a técnica criminalística.



sábado, 3 de dezembro de 2016

03/12 - Mt 9,35-10,1.6-8

03 de Dezembro de 2016


evandia

Mateus 9,35-10,1.6-8

            Jesus começou a percorrer todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, proclamando a Boa-Nova do Reino e curando todo tipo de doença e de enfermidade. Ao ver as multidões, Jesus encheu-se de compaixão por elas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse aos discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita!” Chamando os doze discípulos, Jesus deu-lhes poder para expulsar os espíritos impuros e curar todo tipo de doença e de enfermidade. “Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! No vosso caminho, proclamai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Curai doentes, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expulsai demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”



            Entendendo


JESUS RECUPERA A VIDA
DAS PESSOAS CANSADAS E ABATIDAS

O evangelho de hoje traz Jesus Cristo como missionário. Um homem ativo que não parava, percorria longas distâncias para cumprir sua missão de ensinar os valores de Deus e ajudar as pessoas que sofriam todo tipo de problemas.

O povo que buscava Jesus era gente abandonada pelas autoridades e sofrida pela falta de assistência média, em um tempo que a ciência era pouco evoluída. Percebe-se também o lado humano e sentimental Dele, na paciência e delicadeza com que tratava os carentes. Ainda que prejudicasse ao seu lado humano, pois passava da hora de se alimentar e dormir.

A sua preocupação era voltada também para os discípulos. Eles precisavam aprender a lidar com essas pessoas, continuar o seu trabalho, e não deixar o Reino inaugurado por Ele na terra, fracassar.





Atualizando

A DEPRESSÃO E A
POSSIBILIDADE DE CURA PARA QUEM TEM FÉ

A depressão é uma das doenças mais presentes no século XXI, afetando homens e mulheres de todas as idades. Quem sofre de depressão parece ter estagnado, não encontra forças para enfrentar o quotidiano e chega a pensar que a vida não tem qualquer significado. Lidar com uma pessoa deprimida não é fácil, mas também não é impossível. Segue algumas dicas que podem ajudar.

  1. Acreditar que “para Deus nada é impossível”. Levar a pessoa deprimida a confiar que Deus está acima da depressão. Estimulá-la a participar de momentos fortes de oração, celebrações e encontros fraternos. Para quem têm uma caminhada maior de fé estimulá-lo a receber a Eucaristia e confiar no Corpo Sagrado que penetra e preenche em forma de alimento os espaços do seu corpo físico. Buscar ajuda de um especialista, de preferência, que acredite na força de Deus agindo em seu trabalho.

  1. Compreender a doença. A depressão é uma doença como qualquer outra e a melhor forma de lidar com uma pessoa deprimida é saber exatamente quais os efeitos que a depressão causa no doente, o que este sente e qual a melhor forma de lidar com tudo isso. Ler muito sobre o assunto, acompanhar a pessoa deprimida ao médico, participar em comunidades reais ou virtuais são as principais formas de compreender a depressão e saber dar resposta às angústias e necessidades da pessoa deprimida.

  1.  Apoio emocional. A depressão não é uma doença que passa de um momento para o outro, ou seja, demora tempo a passar – meses e, em alguns casos, até anos. Durante esse tempo, aquilo que a pessoa deprimida mais necessita – para além do acompanhamento médico – é o apoio emocional de quem a rodeia. Compreensão, paciência e carinho são fatores chaves para quem está a cuidar de uma pessoa deprimida. Mostre empatia, seja um bom ouvido, pergunte sempre: “como posso ajudar?”.

  1. Saber distinguir a pessoa da doença. É muito difícil lidar e ajudar uma pessoa deprimida, principalmente quando ela expressa emoções tão intensas como a tristeza, pessimismo, raiva e frustração. Faça o possível para lembrar que é a doença que está a falar e não a pessoa. Evite tentar convencer a pessoa deprimida que aquilo que sente não é real e que ela pode simplesmente “animar-se” para que isso passe. Em vez de dar conselhos e sugestões, mantenha-se neutro, ouça e ofereça-se para ajudar naquilo que for preciso.

  1. Fazer um plano de ação. Ninguém pode ficar sentado em casa à espera que uma depressão passe por si só ou que os medicamentos façam o seu efeito de um dia para o outro – se assim for, ela nunca desaparecerá. É preciso saber quais são as coisas que parecem piorar a depressão e evitá-las, mas também perceber quais as atividades que dão um novo alento à pessoa deprimida e repeti-las. Outros cuidados básicos: a hora certa dos medicamentos, fazer uma dieta alimentar saudável, dormir o suficiente, praticar exercício físico, participar numa terapia individual ou de grupo e ter algum tipo de agenda social. A depressão não precisa de ser uma doença incapacitante e é preciso vencê-la, um passo de cada vez.

  1. Tempo de qualidade juntos. Faça tudo para que a depressão não domine a vida da pessoa deprimida e nem a daquelas que diariamente convivem com essa pessoa. Quais são as coisas que normalmente fazem juntos? Quantas mais vezes, melhor. A diversão é um dos melhores remédios para a depressão. Num estado de depressão é extremamente importante manter uma vida o mais normal e otimista possível.

  1.  Tarefas diárias. Para uma pessoa deprimida, até os gestos e rotinas mais comuns do dia-a-dia se tornam um sacrifício – tudo custa, tudo é demais, tudo é fonte de stress e não dá vontade de fazer nada. Uma das formas mais simples de apoiar uma pessoa deprimida é ajudá-la com as suas pequenas tarefas diárias: buscar as crianças no colégio, ajudá-lo a fazer o jantar, na limpeza da casa ou fazer as compras de supermercado. Você vai ficar surpreendido com o efeito positivo que este tipo de ajuda terá numa pessoa deprimida, que se sentirá imediatamente mais aliviada.

  1. Sair de casa. Uma pessoa deprimida tem uma enorme tendência para se desligar do mundo e fechar-se em casa, o que só dificulta ainda mais a situação. Quanto mais tempo a pessoa deprimida se isolar, mais difícil será ela voltar ao “mundo real”. Só o fato de estar ao ar livre e a apanhar sol já é extremamente benéfico para uma pessoa deprimida, mas pode ainda juntar a isso uma pequena caminhada, um almoço fora, um jogo de futebol ou de cartas, a ida ao cinema com um grupo de amigos mais íntimos...

  1. Cuidar de si. Quem cuida de uma pessoa que está doente, também precisa de se cuidar, caso contrário pode facilmente ficar fisicamente exausto, emocionalmente desgastado e com elevados índices de ansiedade e stress. É importante que quem cuida de uma pessoa deprimida não concentre cada minuto do seu dia nessa pessoa, no seu estado e nos seus problemas – é necessário que continue a viver a sua vida normal, sem sentimentos de culpa. Se sentir que já não consegue mais ou que precisa de uma pausa, peça ajuda a uma pessoa da família ou amigo e descanse durante uns dias. Se não estiver em plena forma, não será grande ajuda para a pessoa deprimida.

Fonte: cuidamos.com
Videos

Seguir por E-mail