Últimas Postagens :

    02/05 - Jo 15,26-16,4a

    02 de Maio de 2016


    evandia

    João 15,26-16,4a

    “Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. Disse-vos essas coisas para vos preservar de alguma queda. Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus. Procederão deste modo porque não conheceram o Pai, nem a mim. Disse-vos, porém, essas palavras para que, quando chegar a hora, vos” lembreis de que vo-lo anunciei.



                Entendendo

    JESUS CONSCIENTIZA SEUS
    DISCÍPULOS QUANTO A VIOLÊNCIA QUE ELES SOFRERÃO

    Aproxima-se a Festa de Pentecostes, e Jesus vai dando pistas e aprofundando o conhecimento sobre o Espírito Santo, última revelação explícita de Deus à humanidade. Primeiro foi a revelação do Pai, em seguida Ele enviou o Filho e, por último, o Espírito Santo.

    O Espírito não anuncia a si mesmo, mas dá testemunho de Jesus Cristo. A comunidade é chamada a também utilizar a força do Espírito. Jesus marca o compromisso em um local determinado – Jerusalém - onde os discípulos deverão receber a força que conduzirá ao testemunho de vida: “... permaneçam em Jerusalém até receberem a força do alto, o Espírito Santo, então sereis minhas testemunhas”          (At 1,8).

    Mergulhados em completa ignorância, Jesus anuncia que os judeus poderão até matar os seus seguidores, julgando fidelidade e defesa ao deus que eles dizem acreditar. A razão da violência permanece a mesma: falta de conhecimento do Pai e do Filho; imagem equivocada de Deus e de seu projeto; dureza de coração.



    Atualizando


    OUTRO OLHAR SOBRE A VIOLÊNCIA NO BRASIL

    A violência se manifesta por meio da tirania, da opressão e do abuso da força. Ocorre do constrangimento exercido sobre alguma pessoa para obrigá-la a fazer ou deixar de fazer um ato qualquer. Existem diversas formas de violência, tais como as guerras, conflitos étnico-religiosos e banditismo.

    A violência, em seus mais variados contornos, é um fenômeno histórico na constituição da sociedade brasileira. A escravidão (primeiro com os índios e depois, e especialmente, com a mão de obra africana), a colonização mercantilista, o coronelismo, as oligarquias antes e depois da independência, somados a um Estado caracterizado pelo autoritarismo burocrático, contribuíram enormemente para o aumento da violência que atravessa a história do Brasil.

    Diversos fatores colaboram para aumentar a violência, tais como a urbanização acelerada, que traz um grande fluxo de pessoas para as áreas urbanas e assim contribui para um crescimento desordenado e desorganizado das cidades. Colaboram também para o aumento da violência as fortes aspirações de consumo, em parte frustradas pelas dificuldades de inserção no mercado de trabalho.

    Por outro lado, o poder público, especialmente no Brasil, tem se mostrado incapaz de enfrentar essa calamidade social. Pior que tudo isso é constatar que a violência existe com a conivência de grupos das polícias, representantes do Legislativo de todos os níveis e, inclusive, de autoridades do poder judiciário. A corrupção, uma das piores chagas brasileiras, está associada à violência, uma aumentando a outra, faces da mesma moeda.

    As causas da violência são associadas, em parte, a problemas sociais como miséria, fome, desemprego. Mas nem todos os tipos de criminalidade derivam das condições econômicas. Além disso, um Estado ineficiente e sem programas de políticas públicas de segurança, contribui para aumentar a sensação de injustiça e impunidade, que é, talvez, a principal causa da violência.

    A violência se apresenta nas mais diversas configurações e pode ser caracterizada como violência contra a mulher, a criança, o idoso, violência sexual, política, violência psicológica, física, verbal, dentre outras.

    Em um Estado democrático, a repressão controlada e a polícia têm um papel crucial no controle da criminalidade. Porém, essa repressão controlada deve ser simultaneamente apoiada e vigiada pela sociedade civil.

    A solução para a questão da violência no Brasil envolve os mais diversos setores da sociedade, não só a segurança pública e um judiciário eficiente, mas também demanda com urgência, profundidade e extensão a melhoria do sistema educacional, saúde, habitacional, oportunidades de emprego, dentre outros fatores. Requer principalmente uma grande mudança nas políticas públicas e uma participação maior da sociedade nas discussões e soluções desse problema de abrangência nacional.

    Orson Camargo

    Mestre em Sociologia pela UNICAMP

    02/05 - Santo Atanásio

     02 de Maio de 2016

    Santo Atanásio


    “Doutor da Igreja que lutou para defender a divindade de Cristo”

    Atanásio nasceu em Alexandria, no Egito, em 296. Era um homem muito inteligente e influente. No ano de 325, quando era ainda diácono, participou de forma ativa do Concílio Ecumênico, em Niceia, que combateu a heresia dos arianos, a qual fazia de Jesus uma criatura inferior a Deus Pai.

    Algum tempo depois quando o bispo de Alexandria morreu, Atanásio foi eleito seu sucessor. Seu bispado durou quarenta e seis anos, durante esse tempo foi muito perseguido e caluniado pelo imperador e pelos arianos.

    Passou por cinco exílios seguidos, intercalados com fugas para o deserto e com afastamentos alheios a sua vontade, tudo suportou com paciência e determinação. Foi assim que conheceu Santo Antão, de quem escreveu a biografia, contando também como era a vida monástica no deserto, o que atraiu muitos cristãos aos mosteiros eremitas. 


    Atanásio faleceu, com setenta e sete anos, no dia 2 de maio de 373. Logo depois, foi inserido entre os célebres "Padres da Igreja", sendo canonizado e declarado "Doutor da Igreja". 

    02/05 - Dia da Morte de Paulo Freire

    2 de Maio de 2016

    Dia da Morte de Paulo Freire

    clip_image002

    Um dos Maiores Pensadores da Educação Brasileira

    Paulo Reglus Neves Freire nasceu em Recife, no dia 19 de setembro de 1921. Foi educador e filósofo brasileiro. É Patrono da Educação Brasileira. Paulo Freire é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da Pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica.

    A sua prática didática fundamentava-se na crença de que o educando assimilaria o objeto de estudo fazendo uso de uma prática dialética com a realidade, em contraposição à por ele denominada educação bancária, tecnicista e alienante: o educando criaria sua própria educação, fazendo ele próprio o caminho, e não seguindo um já previamente construído; libertando-se de chavões alienantes, o educando seguiria e criaria o rumo do seu aprendizado.

    Destacou-se por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência política.

    Autor de Pedagogia do Oprimido, um método de alfabetização dialético, se diferenciou do "vanguardismo" dos intelectuais de esquerda tradicionais e sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de ser realmente democrático.

    Foi o brasileiro mais homenageado da história: ganhou 41 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades como HarvardCambridge e Oxford.

    As suas maiores contribuições foram no campo da educação popular para a alfabetização e a conscientização política de jovens e adultos operários, chegando a influenciar em movimentos como os das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), da Igreja Católica. Paulo Freire morreu em São Paulo, no dia 2 de maio de 1997.

    Fonte: pt.wikipedia.org

    A FÉ QUE LEVA A RECUPERAR A ALEGRIA PERDIDA!

    A FÉ QUE LEVA A
    RECUPERAR A ALEGRIA PERDIDA!


    A tradição cristã e a devoção popular acentuaram, ao longo de muitos anos, o lado sofredor de Jesus muito mais do que o do Cristo vencedor.  O exemplo disso é que lotávamos as igrejas na Sexta-feira da Paixão, e no Domingo de Páscoa, não tínhamos o mesmo número.

    Paramos muito na imagem do Cristo pregado na cruz. Claro que a intenção foi boa, pois quis nos mostrar o que Jesus foi capaz para nos dar a salvação, e também passar a mensagem que não há vitória sem luta.

    É preciso perguntar a nós mesmos: A fé está nos levando a ser pessoas mais alegres e felizes? 

    Não falo aqui, de uma alegria momentânea, alimentada apenas por encontros sociais e festas. Tudo isso é bom, mas passa muito rápido a sensação de bem estar. Se a alegria não vier de uma realização interior, não realiza. Falo da alegria profunda que Jesus defende; aquela que vem de dentro, que é fruto do Espírito. Aquela que as crises, perdas e aparentes fracassos da vida abalam, mas não são capazes de continuar prevalecendo.

    É bonito ver uma pessoa chegar a esse grau permanente de alegria interior, estando sempre de alto astral, mesmo diante das dificuldades. É bom ver uma pessoa que passou por um “baque” e, mesmo sofrendo, soube dar a volta por cima. É bom ver uma pessoa idosa que, mesmo com a fragilidade do corpo e das doenças, cria motivos para ser feliz. É bom ver pessoas que diante do sagrado, expressam felicidade, como o simples gesto de receber a Eucaristia com ar de riso e semblante convicto do “Corpo” que ‘tomará posse’!

    Caso você ainda não tenha chegado a essa maturidade de fé, busque-a na oração, crie a sua intimidade pessoal e comunitária com seu Deus, e não perca o “foco”!

    É impossível buscá-Lo e não tê-Lo como resposta!

    Pe. Rosivaldo Motta, CSsR

    01/05 - Jo 14,23-29

    01 de Maio de 2016


    evandia

    João 14,23-29

    Se alguém me ama, guardará a minha palavra; meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. E a
    palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou. Eu vos tenho dito estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração. Ouvistes o que eu vos disse: ‘Eu vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. Disse-vos isso agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais.


                Entendendo


    DISCURSO DE DESPEDIDA DE JESUS

    No evangelho deste domingo Jesus faz um discurso de despedida. Está chegando a Hora em que Ele vai glorificar o Pai e, consequentemente ser glorificado. Suas palavras ganham ênfase de “testamento”. A “herança” desse testamento é a entrega da continuidade do “Projeto de Deus” aos que foram fiéis a Jesus Cristo.

    “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada”. Jesus mostra, com esta afirmação, que a única condição para fazer parte da família de Deus é guardar a Sua palavra. Esse será capaz de transformar a sociedade, torna-se morada do Pai e do Filho. Torna-se filho com o Filho. Esse “guardar a palavra” não pode ganhar um sentido individualista, pois todo pronunciamento de Jesus foi feito coletivamente.

    O anúncio da morte deixa os discípulos completamente perturbados, tristes e medrosos. Jesus procura transmitir segurança, e fala do Espírito Santo como aquele que vem ensinar e recordar todas as coisas que Ele ensinou aos discípulos.

    Como um pai e até mesmo com a ternura de uma mãe Jesus passa a consolar os discípulos, vendo o abatimento que eles se encontram. Fala de alegria e paz, mostra que a vinda do Espírito Santo substituirá o medo e a insegurança por um estado de paz e alegria que o mundo não é capaz de oferecer.

    A paz que Ele dá não é ausência de conflito, mas a serenidade e a coragem que vêm de uma convicção profunda: Deus está presente com eles e é capaz de devolver a vida tragada nos conflitos e injustiças do mundo.




    Atualizando



    COMO É DIFÍCIL SERMOS OBEDIENTES À “PALAVRA!”
    SOMOS DESAFIADOS DE TODOS OS LADOS!

    Conforme a afirmação de Jesus no evangelho aquele que “guarda” a Sua Palavra demonstra seu amor para com Ele.

    Como é difícil passar da teoria à prática! O fato de termos consciência dos ensinamentos cristãos, não quer dizer que estamos transformando em atos no cotidiano.

    Como é difícil para uma pessoa que se apaixona por alguém inconveniente, “guardar a Palavra”, em forma de conselhos vindos dos pais ou amigos!

    Como é difícil “guardar a Palavra” e manter um casamento quando entro na lógica da sociedade pós-moderna que propõe a busca de prazer pessoal e novidades, sem que, ao menos, leve em consideração o valor de uma família e o que pode provocar uma separação!

    Como é difícil “guardar a Palavra” quando encontro alguém que dá um jeitinho de empregar um filho ou parente, ainda que tenha que “passar outros para trás”!

    Como é difícil “guardar a Palavra” quando tenho que dar razão ou testemunhar em favor de alguém de fora, e ir contra a um parente ou familiar que cometeu um ato errado!

    Como é difícil “guardar a Palavra” quando, diante de uma crise financeira, encontro um jeito fácil de saudar as dívidas sem que ninguém descubra, ainda que seja por meios ilícitos!


    Diante de situações desafiadoras da vida é que vamos mostrar o grau que se encontra a nossa fé e o amor que temos à Palavra que juramos acreditar e seguir.

    01/05 - São José Operário

    01 de Maio de 2016
    São José Operário

    clip_image002

     “Padroeiro dos trabalhadores”

    Neste dia em que comemoramos o Dia do Trabalhador, em quase todo o mundo, a Igreja quis presentear todos os trabalhadores, homens e mulheres, dando como seu protetor São José, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus.
                           
    São José é o modelo ideal do operário e do trabalhador de uma forma geral. Sustentou sua família durante toda a vida com o trabalho de suas próprias mãos, cumpriu sempre seus deveres para com a comunidade, ensinou ao Filho de Deus a profissão de carpinteiro e, dessa maneira suada e trabalhada, permitiu que as profecias se cumprissem e seu povo fosse salvo, assim como toda a humanidade. 

    Esses foram os motivos que levaram o papa Pio XII a instituir a festa de "São José Trabalhador", em 1955, no dia do trabalhador.

    Muito acertada mais esta celebração ao homem "justo" do Evangelho, que tradicional e particularmente também é festejado no dia 19 de março, onde sua história pessoal é relatada.


    "Seja qual for o vosso trabalho, fazei-o de boa vontade, como para o Senhor, e não para os homens, cientes de que recebereis das mãos do Senhor a herança como recompensa. Servi a Cristo, Senhor". (Col 3,23-24) 

    01/05 - Dia do Trabalho

    1 de Maio de 2016
    Dia do Trabalho

    clip_image002

    O Dia do Trabalho, comemorado no Brasil e em várias partes do mundo em 1º de maio, é uma homenagem a uma greve ocorrida na cidade de Chicago (EUA) no ano de 1886. A data foi marcada pela reunião de milhares de trabalhadores que reivindicavam a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias.

    Dias depois, em 04 de maio de 1886, outra manifestação aconteceu em Chicago e resultou na morte de policiais e protestantes. O evento também foi um dos originários do Dia do Trabalho e ficou conhecido como Revolta de Haymarket. Três anos mais tarde, em 1889, o Congresso Internacional Socialista realizado em Paris adotou como resolução a organização anual, em todo 1º de maio, de manifestações operárias por todo o mundo, em favor da jornada máxima de 8 horas de trabalho.

    No ano seguinte, milhões de trabalhadores da Alemanha, Áustria, Hungria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Grã-Bretanha, Itália e Suíça fizeram valer as decisões do Congresso de 1889. O dia 1º de maio foi marcado por uma greve geral, onde os operários desfilaram pelas ruas de suas cidades para mostrar apoio à causa trabalhista. O dia passou a ser chamado de “Dia do Trabalho” e passava a comprovar o poder de organização dos trabalhadores em âmbito internacional.

    Dia do Trabalho no Brasil

    A chegada dos imigrantes europeus ao Brasil trouxe ideias sobre princípios organizacionais e leis trabalhistas, já implantadas da Europa. Os operários brasileiros começaram a se organizar. Em 1917 aconteceu a Greve Geral, que parou indústria e comércio brasileiros. A classe operária se fortalecia e, em 1924, o dia 1º de maio foi decretado feriado nacional pelo presidente Artur Bernardes.

    Mesmo tendo sido declarado feriado no Brasil, até o início da Era Vargas o 1º de maio era considerado um dia de protestos operários, marcado por greves e manifestações. A propaganda trabalhista de Getúlio Vargas habilmente passou a escolher a data para anunciar benefícios aos trabalhadores, transformando-a em “Dia do Trabalhador”. Desta forma, o dia não mais era caracterizado apenas por protestos, e sim comemorado com desfiles e festas populares, como é até hoje.


    30/04 - Jo 15,18-21

    30 de Abril de 2016


    evandia

    João 15,18-21

    Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro odiou a mim. Se fôsseis do mundo, o
    mundo vos amaria como ama o que é seu; mas, porque não sois do mundo, e porque eu vos escolhi do meio do mundo, por isso o mundo vos odeia. Recordai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior do que o seu senhor’. Se me perseguiram, perseguirão a vós também. E se guardaram a minha palavra, guardarão também a vossa. Eles farão tudo isso por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou.




                Entendendo


    O ÓDIO DO MUNDO CONTRA OS ENVIADOS DE DEUS

    Jesus hoje não poupa palavras para alertar aos seus discípulos sobre o “ódio do mundo”. Ele não esconde as dificuldades que seus continuadores terão, e deixa claro que o mundo não reconhece quem é de Deus. Diante disso, a perseguição passa a ser uma condição natural aos que são fiéis aos valores ensinados por Ele.

    Jesus afirma que se Ele foi perseguido, todo aquele que for fiel aos seus ensinamentos poderá, também, sofrer por causa da fidelidade à Palavra de Deus.

    O ensinamento de Cristo provocou divisão e ódio nas pessoas, instituições, famílias, contra Ele mesmo, e contra todos aqueles que se tornaram testemunhas do amor que Ele propagou. Mas Jesus alertou que tudo isso viria acontecer, pela dificuldade do mundo em reconhecer o amor de seu Pai.




    Atualizando

    ONDE NASCE O ÓDIO?

    O ódio é um sentimento que aniquila, destrói aquilo onde toca e a quem toca. É o desejo de dor alheia.

    O ódio, assim como tudo o que é negativo, surge do medo transformado por uma expectativa, um desencontro, por um desejo não realizável pela implicação de uma circunstância ou de uma decisão não partilhada.

    Surge do choque de ideias inflexíveis ou do encontro com alguém em quem projetamos os nossos medos ou que, de alguma forma, fez florescer os mesmos.

    Odiar alguém supõe a intenção da sua dor através da nossa raiva por qualquer que tenha sido a sua atuação no nosso desencontro. Odiá-lo, assim como ama-lo, é decisão nossa (sem necessidade de consenso), logo não se pode atirar à cara de quem se odeia o ódio que se processa, porque o ódio nasce dentro de nós, por isso para apagar o ódio só podemos apagá-lo em nós, entender porque nasceu, em que nos afeta, e qual o vinculo que há entre a causa e o sujeito pelo qual nasceu.

    Ao observar tudo isto, descobriremos que o ódio surge de uma falta de aceitação, seja própria ou alheia, e que a única maneira  que podemos fazer é perdoar e afastar-nos, porque o ódio descontrolado é como o fogo – arrasa tudo! Por nada!


    Fonte: almaescura.blogs.sapo.pt

    30/04 - São Pio V

    30 de Abril de 2016
    São Pio V

    clip_image001

    “Papa que fez grandes reformas na Igreja”

    Antonio Miguel Ghislieri nasceu no ano de 1504, em Bosco Marengo, na província de Alexandria, e, com quatorze anos, ingressou na Ordem Dominicana.

    Ordenou-se sacerdote, foi professor, superior do convento e superior provincial, depois se tornou bispo e, em 1566 foi nomeado papa, assumindo o nome de Pio V.

    Seu pontificado foi marcado por várias reformas e mudanças que fez dentro da Igreja. Acabou com o nepotismo, ou seja, regalias, cargos ou vantagens que os familiares dos papas eleitos recebiam. Implantou algumas mudanças no campo pastoral, que foram aprovadas no Concílio de Trento, como a obrigação de residência para os bispos, a clausura dos religiosos, o celibato e santidade de vida dos sacerdotes e as visitas pastorais dos bispos, entre outras medidas.

    Também combateu fortemente a Reforma Protestante, além de conseguir a união dos países católicos.

              São Pio V faleceu no dia primeiro de maio de 1572, com sessenta e oito anos.  Foi beatificado em 1672, canonizado em 1712 e sua festa litúrgica é a 30 de abril.

    30/04 - Dia do Ferroviário

    30 de Abril de 2016

    Dia do Ferroviário

    clip_image002

    O ferroviário, isto é, o trabalhador das estradas de ferro, também tem o seu dia. É o 30 de abril. Por quê? Porque em 30 de abril de 1854 inaugurou-se a primeira linha ferroviária do Brasil, numa viagem que contou com a ilustre presença do imperador dom Pedro II e da imperatriz Tereza Cristina.

    A Estrada de Ferro Petrópolis, que tinha cerca de 14 km de trilhos, ligava o Rio de Janeiro a Raiz da Serra, na direção da cidade que batizou a ferrovia. Ela foi um empreendimento do empresário Irineu Evangelista de Sousa, que por isso recebeu do governo imperial o título de barão de Mauá.

    Hoje, pode não parecer, mas as estradas de ferro e seus trabalhadores já foram muito importantes para o desenvolvimento de nosso país. A história do Brasil, em diversos sentidos, caminhou sobre os trilhos dos trens, puxada pelas locomotivas. Quer um exemplo surpreendente?

    Os ingleses e o futebol

    As duas primeiras bolas de futebol trazidas para o Brasil, que introduziu aqui esse esporte britânico, foram utilizadas numa partida entre os funcionários da São Paulo Railway (= estrada de ferro) e os da Companhia de Gás. Os ferroviários ganharam por 4 a 2.

    Na verdade, assim como o futebol, a ferrovia é uma invenção dos ingleses. A primeira locomotiva da história foi projetada pelo engenheiro George Stephenson (1781-1848). Seus resultados para o transporte de carga e passageiros foram surpreendentes. Afinal, os transportes terrestres da época tinham tração animal e a locomotiva (de "locomotion", locomoção, movimento) atingia uma velocidade incrível: 20 quilômetros por hora.

    Os trens rapidamente se difundiram no mundo e no Brasil. Aqui, em 1889 já havia 10 mil quilômetros de linhas férreas e, no centenário da inauguração da estrada de Mauá, em 1954, os trilhos já haviam atingido cerca de 40 mil quilômetros. Ao longo de todo esse tempo, várias outras vezes os ferroviários ajudaram a transportar nossa história.

    A locomotiva da história

    Em 1930, Getúlio Vargas pegou um trem no Rio Grande do Sul e seguiu para o Rio de Janeiro, conduzindo as tropas gaúchas que iriam depor o presidente Washington Luís e começar um novo período da história nacional. Da mesma maneira, viajavam de trem as tropas paulistas que se insurgiram contra Getúlio em 1932, lutando pela promulgação de uma nova Constituição.

    Na década de 1950, o trem era o principal meio de transporte entre as duas maiores cidades do país: São Paulo e o Rio de Janeiro. A ponte aérea só surgiria em 1959. Contudo, não foi o avião que o presidente Juscelino Kubitschek trouxe para o Brasil, na virada da década de 50 para a de 1960, mas a indústria automobilística.

    Com isso, as estradas de ferro entram em decadência. Infelizmente, pois se trata de um meio de transporte eficiente, barato e limpo, no que se refere à poluição ambiental. Hoje em dia, a malha ferroviária do país chega somente a cerca de 30 mil quilômetros, utilizada em sua maioria para o transporte de carga.

    Trem-bala

    Você pode estar pensando que isso é natural, que o trem era uma coisa do passado, que se tornou ultrapassada com o surgimento dos carros, dos ônibus, dos automóveis, mas isso absolutamente não é verdade. A importância do passado ressalta que as ferrovias também podem ser uma grande opção de transporte no futuro. Nas grandes cidades, os trens já são importantíssimos, transportando passageiros por debaixo da terra nos metrôs.

    Além disso, a tecnologia ferroviária evolui muito ao longo de quase dois séculos. O trem-bala japonês, que une as cidades de Tóquio e Osaka, atinge uma velocidade média de 300Km/h. No Brasil o Ministério dos Transportes fala em abrir uma concorrência para criar uma PPP (Parceria Público-Privada) para a construção de um trem-bala entre o Rio de Janeiro e São Paulo.

    Ele percorreria os 400Km que separa as duas cidades em uma hora e meia, viajando a uma velocidade média de 280Km/h. Este talvez já seja um bom motivo para se comemorar com entusiasmo o dia do ferroviário.

     

    Seja Missionário Redentorista

    Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
    Copyright © 2011. Pe. Rosivaldo Motta, CSsR - All Rights Reserved
    Template Created by Creating Website Modify by Tereza Morais
    Proudly powered by Blogger