Últimas Postagens :

    Arquivo do blog

    05/05 - Jo 14,27-31a

    5 de Maio de 2015

    evandia

    João 14,27-31a

    Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração. Ouvistes o que eu vos disse: ‘Eu vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. Disse-vos isso agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais. Já não falarei mais convosco, pois vem o chefe deste mundo. Ele não pode nada contra mim. Mas é preciso que o mundo saiba que eu amo o Pai e faço como o Pai mandou.

    Entendendo

    “PAZ DE ESPÍRITO”,
    MESMO SABENDO QUE ESTAVA PRÓXIMO DA MORTE!

    Jesus faz um comunicado e demonstra uma única preocupação, quanto à sua partida. Comunica a sua morte. Tenta suavizar e busca tranquilizar os discípulos amigos, afirmando que eles deveriam ficar alegres por saber que Ele estaria indo para junto de seu Pai. Jesus sabia que, no lado humano, não seria fácil, pois os discípulos estavam perdendo um amigo querido, com quem haviam tido um relacionamento de profunda confiança.

    A preocupação maior de Jesus não era com a sua morte, mas com as tentações e falsas propostas que surgiriam após a sua ausência física. Ou seja, o “Príncipe do Mundo”, como Ele chamou o inimigo, buscaria desviar os discípulos com todo tipo de dificuldades. De fato, aconteceu! Muitas foram as perseguições e mortes (martírio) brutais com os seus seguidores. Para Ele, este motivo era causa de maior tristeza que a sua própria morte.

    Apesar da incerteza do futuro, os discípulos deveriam alegrar-se. Para transmitir maior segurança ainda, fez um discurso na partida, afirmando que estava indo preparar um lugar e levaria todos com Ele, e comparou o céu com uma morada, para deixá-los familiarizados com a ‘vida que nos espera’ (Cf. João 14,1-3).

    Atualizando

    MANTER-SE EQUILIBRANDO,
    MESMO SABENDO QUE TEM POUCOS DIAS DE VIDA!

    Jesus percebeu que a qualquer momento podia ser morto, e fez discursos de despedida. Em um deles, no evangelho de hoje, fez uma afirmação que surpreendeu os discípulos: “Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai”.

    Trazendo para nossa realidade atual, será que alguém chega ao nível elevado de fé a tal ponto de sentir alegria em saber que está perto de morrer, pelo fato de aproximar-se do seu encontro com Deus? É possível, mas muito difícil.

    A morte continua sendo o ato extremo que assusta a todos. Principalmente pelos vínculos que são estabelecidos por aqui. Constituímos família; vemos florescer nossos projetos, depois de tanta luta; criamos laços de amizade; aprendemos a conviver e nos familiarizamos com as coisas daqui; criamos raízes... A morte nos leva a romper com tudo isso.

    Somente um estágio profundamente avançado de fé, leva-nos ao desapego a tudo isso. Não me refiro aqui, às pessoas materialistas, que vivem obsecadas com o “ter” e “acumular”, e lidam de forma insensível com a realidade divina. Falo de uma pessoa que tem compromisso com a sua fé, mas que, ainda, não conseguiu chegar a tamanha conquista – encarar com alegria a passagem para a eternidade!

    Estamos a caminho! Que o Senhor Ressuscitado abençoe nossa caminhada de fé, nos ajude a tirar o medo e trabalhar essa certeza como uma conquista.

    05/05 - Santo Ângelo

    5 de Maio de 2015

    Santo Ângelo

    clip_image001

    “Morreu por converter uma pecadora em adultério”

    Ângelo nasceu em 1185, na cidade de Jerusalém, e seus pais eram judeus. Ângelo e sua família se converteram ao cristianismo, depois que Nossa Senhora lhe apareceu através de um sonho. Nesse sonho, ela o visitava dizendo que sua família receberia uma grande graça: o nascimento de uma nova criança, mesmo seus pais sendo de idade avançada.

    O que lhes parecia ser impossível, aconteceu e, emocionados, todos receberam o batismo junto com a criança, a quem deram o nome de João.

    Ângelo viveu em vários conventos da Palestina e da Ásia Menor. Recebeu muitas graças do Senhor, sobretudo o dom da profecia e dos milagres, depois de viver cinco anos no Monte Carmelo. Mesmo lugar onde viveu o profeta Elias.

    Entrou para a Ordem do Carmo quando tinha apenas dezoito anos e, em 1213, foi ordenado sacerdote desempenhando um maravilhoso trabalho apostólico. Era um grande pregador da Palavra de Deus.

    Certa vez, ao pregar, deparou-se com a graça da conversão de uma mulher que vivia no adultério, com um senhor de muitas posses. Ela se abriu ao Evangelho e se converteu, mas o homem não.

    No dia 5 de maio de 1220, Ângelo, com apenas trinta e quatro anos de idade fez sua última pregação na igreja de São Tiago de Licata, na Sicília. Nesse dia foi morto. Aquele homem rico encomendou o seu assassinato por não se conformar com o abandono e a conversão de sua amante. Santo Ângelo foi canonizado em 1498.

    05/05 - Dia Internacional das Comunicações

    5 de Maio de 2015

    Dia Internacional das Comunicações

    clip_image001

    No dia 05 de maio é comemorado o dia das comunicações, data de nascimento do Marechal Rondon, responsável pela instalação de mais de dois mil quilômetros de linhas telegráficas em nosso país.

    Comunicar é o ato de trocar conhecimentos, divulgar uma ideia, notícia ou informação, tornando outras pessoas cientes de um determinado assunto.

    Neste dia surge a oportunidade para a reflexão sobre o impacto das novas tecnologias de comunicação na vida das pessoas e no modo como elas se relacionam. É indiscutível a sua relevância para a sociedade como a conhecemos hoje.

    As facilidades de acesso, proporcionadas por tecnologias de alcance global, criaram uma multiplicidade de vias, garantindo a efetiva comunicação a unir os mais distantes cantos da terra, em um movimento que traz muitos benefícios para grande a parcela da sociedade.

    Vivemos um momento especial da humanidade: Internet, NGN, 3G, TV digital, redes e serviços sobre IP e tantas outras novidades. A nova cultura da comunicação fez aflorar uma realidade impensável às gerações passadas, que acompanharam exemplos de coragem como o do visionário Marechal Cândido Rondon, desbravando o Brasil do século 19 na instalação das linhas telegráficas, no primeiro grande esforço de grandes proporções para a integração nacional das comunicações.

    A curiosidade e o forte espírito investigativo sempre levaram à frente toda a humanidade. E eles estão presentes também nos profissionais e organizações que dedicam seus esforços às comunicações. Pelo dia 5 de maio, Dia Internacional das Comunicações, lembremo-nos de toda a classe, dando-lhe o devido reconhecimento por ajudar a humanidade a chegar tão longe.

    Fonte: www.cpqd.com.br

    04/05 - Jo 14,21-26

    4 de Maio de 2015

    evandia

    João 14,21-26

    Quem acolhe e observa os meus mandamentos, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele. Judas (não o Iscariotes) perguntou-lhe: “Senhor, como se explica que tu te manifestarás a nós e não ao mundo?” Jesus respondeu-lhe: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. E a palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou. Eu vos tenho dito estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito”.

    Entendendo

    O PAI, O FILHO, O ESPÍRITO E NÓS!

    Todos os acontecimentos da vida de Jesus resumem-se no mandamento do amor. Até nos momentos que Ele precisava ser duro e falar com autoridade, não escapava um só ato de desamor. Nessa dimensão, todo aquele que se propõe ser cristão vive a filosofia do amor sem violência e assim procede, porque é educado pela Palavra pronunciada por Ele.

    Guardando a Palavra, ou seja, os seus mandamentos, o cristão vive o amor capaz de doar a vida pelos outros. Esse comportamento é resultado do trabalho de Jesus, em comunhão com Deus. Logo, estabelece-se uma união de forças, ou rede divina de quatro pessoas que lutam pelo mesmo objetivo – a Trindade divina e nós, humanos.

    A partir do momento que o amor é canalizado no próximo, torna-se concreto, real. Sai da teoria consciente e racional ou sentimental, para uma prática transformadora e profética.

    Atualizando

    “ENDURECER SEM JAMAIS PERDER A TERNURA!”

    Certamente estão achando estranho começar com uma frase de Che Guevara, um líder revolucionário comunista. Não tenho dúvida que se tratava de um jovem idealista e, mesmo agindo com métodos diferentes de nós cristãos, tinha boas intenções em ver o seu povo liberto. Pena que o comunismo que ele defendia como ideal vai permanecer ineficaz, porque sua prática traz um regime ditatorial militar, com grande sofrimento para o povo.

    Deixando o comunismo e revolução de Che Guevara de lado, vamos à frase-título: “endurecer sem jamais perder a ternura” provoca impacto e pode ser aproveitada do lado cristão, só que com o “revolucionário amor”, Jesus Cristo.

    O amor que Jesus defende, vindo do Pai, se traduz em gesto concreto. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele não foi violento. O “endurecer” da frase, pode ser traduzido como ser firme, defender ideias, ideais, não perder a autoridade. E isso Ele demonstrou diante dos comandantes do povo, e nos momentos de humilhação que passou.

    A “ternura” defendida pode representar o ser “manso e humilde de coração” que Jesus proclamou no Sermão da Montanha. A ternura que O levou a chamar os discípulos de “amigos”, o jeito amável que atendia os humilhados, o choro solidário na morte de Lázaro...

    Diante disso é necessário buscar esse equilíbrio. De um lado ser firme quando defendemos valores, ideais que nos fazem crescer. Sempre tomando por base os princípios cristãos. Por outro lado, evitar todo tido de postura que nos torne arrogantes e autossuficientes, no jeito de tratar o nosso semelhante. Que tenhamos com o outro respeito e caridade, virtudes que simbolizam ternura.

    04/05 - São Floriano

    4 de Maio de 2015

    São Floriano

    clip_image001

    “O padroeiro dos bombeiros morreu corajosamente, defendendo sua fé em Jesus Cristo”

    Floriano viveu na cidade de Mantem, próxima de Kems, Alemanha. Na época, Diocleciano era o imperador e Aquilino, o comandante do exército romano na região do Danúbio, atual Áustria, onde existiam numerosas colônias do Império e vários batalhões de soldados que faziam sua defesa. Floriano era militar em um desses batalhões.

    Nessa época o imperador Diocleciano tinha se tornado um grande perseguidor dos cristãos. Ele decretou que todos os escritos religiosos tinham que ser queimados, e todos os que se diziam cristãos, tinham que adorar os falsos deuses, renegando a Jesus Cristo.

    Muitos militares recusaram obedecer as ordens do imperador e acabaram sendo assassinados. Um deles foi Floriano, acompanhado de mais quarenta companheiros. Eles se apresentaram ao comandante Aquilino, do acampamento de Lorch, Áustria, para comunicar que eram cristãos e que não poderiam servir ao exército do imperador. Por esse motivo foram presos.

    Durante o processo de julgamento nenhum deles renunciou a fé em Jesus Cristo. Foram condenados a serem jogados no rio Ens, com uma pedra amarrada no pescoço. Todos foram martirizados. A sentença foi executada no dia 4 de maio de 304.

    04/05 - Dia Internacional contra o DRM

    4 de Maio de 2015

    Dia Internacional contra o DRM

    clip_image002

    O dia 4 de maio foi escolhido, a partir de 2010, como o Dia Internacional Contra o Gerenciamento de Direitos Digitais (DRM), por  convocação de grupos de direitos online e de justiça social.

    A data especial é um esforço para conscientizar as pessoas sobre o que os organizadores definem como perigo das tecnologias de restrição de acesso dos usuários a filmes, música, obras literárias, softwares e outros formatos de dados digitais.

    A ideia é incentivar os usuários de tecnologias digitais a combater e rejeitar produtos/empresas que fazem uso de DRM para restringir a liberdade de compartilhamento das informações.

    A FSF, instância máxima do software livre, convoca todos os interessados em participar do International Day Against DRM a realizarem eventos em suas cidades, postagens em blogs e rede sociais e colocação de banners da campanha em sites e blogs para alertarem sobre perigos do DRM.

    Fonte: baixacultura.org e idgnow.uol.com.br

    “ENDURECER SEM JAMAIS PERDER A TERNURA!”

    “ENDURECER SEM JAMAIS PERDER A TERNURA!”

    clip_image002

    Certamente estão achando estranho começar com uma frase de Che Guevara, um líder revolucionário comunista. Não tenho dúvida que se tratava de um jovem idealista e, mesmo agindo com métodos diferentes de nós cristãos, tinha boas intenções em ver o seu povo liberto. Pena que o comunismo que ele defendia como ideal vai permanecer ineficaz, porque sua prática traz um regime ditatorial militar, com grande sofrimento para o povo.

    Deixando o comunismo e revolução de Che Guevara de lado, vamos à frase-título: “endurecer sem jamais perder a ternura” provoca impacto e pode ser aproveitada do lado cristão, só que com o “revolucionário amor”, Jesus Cristo.

    O amor que Jesus defende, vindo do Pai, se traduz em gesto concreto. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele não foi violento. O “endurecer” da frase, pode ser traduzido como ser firme, defender ideias, ideais, não perder a autoridade. E isso Ele demonstrou diante dos comandantes do povo, e nos momentos de humilhação que passou.

    A “ternura” defendida pode representar o ser “manso e humilde de coração” que Jesus proclamou no Sermão da Montanha. A ternura que O levou a chamar os discípulos de “amigos”, o jeito amável que atendia os humilhados, o choro solidário na morte de Lázaro...

    Diante disso é necessário buscar esse equilíbrio. De um lado ser firme quando defendemos valores, ideais que nos fazem crescer. Sempre tomando por base os princípios cristãos. Por outro lado, evitar todo tido de postura que nos torne arrogantes e autossuficientes, no jeito de tratar o nosso semelhante. Que tenhamos com o outro respeito e caridade, virtudes que simbolizam ternura.

    Pe. Rosivaldo Motta, CSsR

    03/05 - Jo 15,1-8

    3 de Maio de 2015

    evandia

    João 15,1-8

    Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que em mim não dá fruto ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto ainda. Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Quem não permanecer em mim, será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados. Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos.

    Entendendo

    “EU SOU A VIDEIRA
    VERDADEIRA, E MEU PAI É O AGRICULTOR!

    Jesus utilizava todas as técnicas de comunicação para fazer o povo entender a mensagem. Mais uma vez Ele utiliza a natureza como referência para a pessoa humana, ao citar uma árvore e seus ramos. A união dos galhos com o tronco simbolizada no evangelho representa o tipo de relacionamento a ser estabelecido entre Jesus e a comunidade dos discípulos, e, ao mesmo tempo, funciona como um alerta para as tentações futuras.

    A parábola sublinha alguns pontos fundamentais. Para os discípulos produzirem frutos de amor e justiça é necessário permanecerem unidos ao Senhor. O verbo “permanecer” oito vezes, mostrando a necessidade de estar sempre ligado a Ele. Um relacionamento puramente exterior e formal com Jesus não tem sentido, não produz fruto.

    A parábola serve, também, de alerta contra a tentação de buscar outras filosofias e motivações fora de Jesus Cristo. Seriam adesões estéreis, pois só na medida em que permanecer unido a Ele, o discípulo irá agir conforme o desejo do Pai.

    Atualizando

    PAPA FRANCISCO PEDE
    UNIÃO ENTRE CATÓLICOS E EVANGÉLICOS

    O Papa Francisco vem reforçando sua postura ecumênica, tentando aproximar-se das outras correntes do Cristianismo como os ortodoxos e os evangélicos. No encerramento da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que ocorreu na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, ele fez orações em companhia do representante do Patriarcado ecumênico de Constantinopla, Gennadios Zervos, e o representante do arcebispo de Cantuária e chefe da Comunhão Anglicana, o pastor David Moxon.

    Numa missa com diversos representantes ortodoxos, anglicanos e de outras comunidades cristãs, e o sermão do Papa teve como tema “Estará Cristo dividido?”, baseado no texto de 1 Coríntios 1,13.

    Com grande tristeza, o pontífice lembrou as divisões históricas da Igreja Cristã, que deu origem a muitos conflitos ao redor do mundo. Mas Francisco preferiu exortar os cristãos a serem todos um, ressaltando que isso não deveria ser fruto de estratégias humanas.

    Durante o sermão, falou: “Nesta tarde, encontrando-nos aqui reunidos em oração, sentimos que Cristo – que não pode ser dividido – quer atrair-nos a Si, aos sentimentos do seu coração, ao seu abandono total e íntimo nas mãos do Pai, ao seu esvaziar-se radicalmente por amor da humanidade. Só Ele pode ser o princípio, a causa, o motor da nossa unidade. As nossas divisões ferem o corpo de Cristo, ferem o testemunho que somos chamados a prestar-lhe no mundo…. Cristo fundou uma única Igreja… Queridos amigos, Cristo não pode estar dividido! Esta certeza deve incentivar-nos e suster-nos a continuar, com humildade e confiança, o caminho para o restabelecimento da plena unidade visível entre todos os crentes em Cristo”.

    O papa Francisco lembrou ainda que outros papas como João XXIII e João Paulo II defendiam o ecumenismo, mas que isso precisa ser ampliado. Portanto, dispõe-se a ser um instrumento para isso. Ao falar dos obstáculos para a unidade, pediu para que os cristãos continuem tendo humildade para superar “os nossos conflitos, nossas divisões e nosso egoísmo”.

    Fonte: noticias.gospelprime.com.br

    03/05 - São Filipe e São Tiago

    3 de Maio de 2015

    São Filipe e São Tiago

    clip_image002

    “Apóstolos de Jesus que foram martirizados”

    Hoje, comemoramos a vida de dois apóstolos de Jesus Cristo: Filipe e Tiago. Ambos nasceram na Galileia.

    Filipe foi um dos primeiros a seguir Jesus, e é citado pelos Evangelistas, mas o Evangelho de João é o que mais fala sobre ele. Estava presente na multiplicação dos pães e foi para Filipe que Jesus perguntou como eles fariam para alimentar aquela multidão (Jo 6,5-7). Também noutra ocasião, quando alguns gregos se aproximaram dos apóstolos, pois queriam ver Jesus mais de perto, eles recorreram diretamente a Filipe. (Jo 12,21-23).  Na Santa Ceia, o apóstolo Filipe é quem pede a Jesus: 'Mostra-nos o Pai e isso nos basta' (Jo 14,8). Ele estava também presente em Pentecostes com a Virgem Maria e os outros apóstolos.  Após a ressurreição de Jesus, teria ido para Frigia, evangelizar.

    Não se sabe exatamente como ou quando Felipe morreu. Mas, o provável é que tenha sido crucificado em Gerápolis, no tempo do imperador Domiciano.

    Suas relíquias foram transportadas num dia 3 de maio e colocadas na igreja dos Apóstolos, em Roma, junto com as de São Tiago, o Menor. Por causa disso São Filipe é celebrado neste dia.

    São Tiago era primo de Jesus por parte de sua mãe, e foi um dos seus doze apóstolos. Foi chamado de "o Menor" para não ser confundido com São Tiago, o Maior, que era irmão de São João. É também citado várias vezes na Sagrada Escritura e Paulo cita seu nome antes de outros: "Tiago, Cefas e João, que são considerados as colunas, reconhecendo a graça que me foi dada, deram as mãos a mim e a Barnabé em sinal de pleno acordo..." (Gl 2,9).

    Nos Atos dos Apóstolos o encontramos como o primeiro bispo de Jerusalém. Também segundo a Tradição morreu mártir e evangelizando.

    03/05 - Dia do Sol

    3 de Maio de 2015

    Dia do Sol

    clip_image002

    O Dia do Sol foi criado no âmbito do Programa das Nações Unidas para o Ambiente. Este dia visa alertar para os benefícios do sol e salientar a importância desta importante fonte de energia para o ecosistema, mas também para os cuidados que a população deve ter quanto à exposição ao sol.

    Apesar de não passar de uma estrela modesta – no conjunto dos mais de cento e vinte mil milhões de astros semelhantes que constituem a nossa galáxia –, o Sol continua, tal como no passado, a ser venerado na Terra.

    Adorações e outros cultos de então são agora substituídos por eventos marcados para determinado dia – o “dia do Sol” – em que, com maior ênfase do que noutras oca­siões, se fala da nossa estrela e da sua influência sobre a vida na Terra, ou melhor, se reflete sobre a impossibilidade de vida no nosso planeta se o Sol não existisse.

    O dia do Sol, comemorado hoje, serve para – em muitos locais do mundo – se evocar a complexidade de uma estrela modesta e com­preender a sua vida complexa e o seu altruísmo na manutenção de condições de vida no espaço à sua volta.

    Fonte: www.superinteressante.pt e www.calendarr.com

     

    Seja Missionário Redentorista

    Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
    Copyright © 2011. Pe. Rosivaldo Motta, CSsR - All Rights Reserved
    Template Created by Creating Website Modify by Tereza Morais
    Proudly powered by Blogger