Últimos Posts

Evangelho
Revendo a História

Evangelho

Santo do Dia

Revendo a História

Artigo da Semana

Recent Posts

quinta-feira, 22 de junho de 2017

22/06 - Mt 6,7-15

22 de Junho de 2017


evandia

Mateus 6,7-15

“Quando orardes, não useis de muitas palavras, como fazem os pagãos. (...) Vós, portanto, orai assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos que nos devem. E não nos introduzas em tentação, mas livra-nos do Maligno. De fato, se vós perdoardes aos outros as suas faltas, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará (...).”


            Entendendo


A ORAÇÃO DO PAI-NOSSO E SEU CONTEÚDO

Antes de ensinar aos discípulos a maneira certa de conversar com Deus, na mais profunda intimidade entre filhos e Pai, Jesus os chama à atenção para uma maneira errada que existia na época – a de fazer longas orações para “convencer a Deus” pela quantidade e não pela qualidade da oração.

A oração do Pai-nosso mostra a intimidade e simplicidade que deve existir entre nós como filhos e Deus como Pai. Revela um Pai compreensivo, amoroso, disposto a ouvir e atender as nossas necessidades.

Na primeira parte, o pedido é que Deus manifeste o seu plano de salvação: “Venha a nós o vosso reino...” A segunda, traz a necessidade de cada pessoa viver o projeto de Deus que Jesus apresentou: pão para o sustento, bom relacionamento entre os irmãos, dando destaque para o perdão nas relações e, por fim, a perseverança até o fim.

A oração que Jesus colocou nos lábios dos discípulos está baseada na absoluta confiança no Pai, de quem se espera tudo, por saber ser Ele a fonte de todos os bens.





Atualizando


‘PAI’ FOI A PALAVRA MAIS USADA POR JESUS

O Pai sabe do que precisamos antes que lhe peçamos. É um Pai que nos escuta às escondidas, no segredo, como Ele, Jesus, nos aconselha a rezar: no segredo.

Este Pai nos dá a identidade de filhos. Eu digo ‘Pai’, mas chego às raízes da minha identidade: a minha identidade cristã é ser filho e esta é uma graça do Espírito. Ninguém pode dizer ‘Pai’ sem a graça do Espírito.

‘Pai’ é a palavra que Jesus usava quando era cheio de alegria, de emoção: “Pai, te louvo porque revelas estas coisas as crianças”; ou chorando, diante do túmulo de seu amigo Lázaro. “Pai, te agradeço porque me ouvistes”; ou ainda, nos momentos finais de sua vida, no fim”.

Nos momentos mais fortes Jesus diz: ‘Pai’. É a palavra que ele mais usa; Ele fala com o Pai. É o caminho da oração e por isso – reiterou – eu me permito dizer, é o espaço de oração. Sem sentir que somos filhos, sem dizer ‘Pai’ nossa oração é pagã, é uma oração apenas de palavras.

Papa Francisco

22/06 - São João Fisher

22 de Junho de 2017

São João Fisher

clip_image001

“Bispo que morreu por defender a Igreja Católica e o Papa”

João nasceu em 1469, em Yorkshire, na Inglaterra. Ficou órfão de pai quando era ainda criança. Nos estudos sempre se destacou, e quando completou vinte anos já era professor do colégio São Miguel.

Estudou e se formou doutor em teologia, na famosa Universidade de Cambridge. Depois foi ordenado sacerdote, nomeado vice-reitor e mais tarde eleito chanceler da mesma Universidade. Cargo que manteve até morrer. 

Quando completou trinta e cinco anos, foi eleito bispo de Rochester. Como pastor de sua diocese, foi um exemplo de caridade, dedicação e amor por seu apostolado e pelos mais necessitados.

Mesmo com tantos trabalhos na Universidade e na diocese, João encontrava tempo para estudar e escrever vários livros, inclusive combatendo os erros da nova doutrina de Martinho Lutero.

No ano de 1535, o rei Henrique VIII, desejou que a Igreja declarasse nulo seu casamento com sua legítima esposa para casar-se com sua amante, Ana Bolena. O bispo João Fisher analisando, viu que não era caso de nulidade, e mesmo sabendo que corria risco de morte, enfrentou o rei.

O rei arquitetou, e conseguiu que o Parlamento inglês o declarasse chefe supremo da Igreja na Inglaterra, ocupando assim o lugar do papa. João Fischer mais uma vez não acatou a decisão do rei, defendeu a Igreja, mantendo fidelidade e obediência ao papa de Roma.

Em meio às confusões religiosas e políticas, o testemunho de Fischer indicou a verdade, que nem sempre é acolhida. Ele foi preso na Torre de Londres, com sessenta e seis anos, e condenado à morte. Estava preso, quando foi nomeado cardeal pelo papa Paulo III, e quando o rei ficou sabendo disse: "Enviaram-lhe o chapéu de cardeal, porém não poderá colocá-lo, porque eu lhe mandarei cortar a cabeça".


Antes de ser decapitado, o bispo João Fisher, declarou à multidão presente que estava morrendo por defender a Igreja Católica, fundada por Jesus Cristo, e ao Sumo Pontífice de Roma. Era o dia 22 de junho de 1535. Foi canonizado pelo papa Pio XI, em 1935. 

22/06 - Dia do Aeroviário e Orquidófilo

22 de Junho de 2017

Dia do Aeroviário e Orquidófilo

Aeroviário

clip_image002

O Dia do Aeroviário foi decretado em de 22 de julho de 1962, pelo presidente João Goulart. Aeroviário é quem trabalha em aerovias, que atuam no chamado transporte aéreo.

As empresas de navegação aérea transportam pessoas e mercadorias. Transportam também os funcionários que ajudam os passageiros a ter um clima agradável durante a viagem, tanto no sentido técnico quanto social.

Assim como na terra os carros têm seu lugar demarcado para circularem, também os aviões possuem o seu. Para as aeronaves, existe um espaço aéreo navegável, cuja largura é fixada pelas autoridades aeronáuticas de cada país. Esse espaço cobre uma determinada faixa no solo e segue convenções internacionais, sendo controlado pelas autoridades e técnicos que trabalham no setor.

Certamente, quando você viaja para algum outro estado ou país, não se dá conta – ou não lembra – que, por trás dessa sua viagem, existe toda uma estrutura montada e pessoas cuja função é tornar sua ida ou volta mais tranquila e segura.

A profissão de piloto é uma das mais cobiçadas dentro da aviação civil. Para participar do mercado de trabalho, o piloto deve obter sua licença ou habilitação pelo Departamento de Aviação Civil (DAC). O Brasil conta hoje com cerca de 40 mil pilotos registrados na instituição.


Orquidófilo


Comemora-se hoje, no Brasil, o Dia do Orquidófilo. A escolha desta data é uma homenagem a João Barbosa Rodrigues, que nasceu a 22 de junho de 1842, em São Gonçalo de Capivari, MG.

Engenheiro, naturalista, botânico, taxonomista, Rodrigues foi, durante quase 20 anos, Diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, cargo que ocupou até sua morte, a 06 de março de 1909. Ali conduziu estudos sobre as orquídeas brasileiras, tendo produzido importantes trabalhos, como “Genera et species orchidearum novarum”, em três volumes, e uma “Iconografia das orquídeas”. Baptistonia Capanemia são exemplos de gêneros nominados por Barbosa Rodrigues.

As orquídeas são largamente cultivadas no Brasil e no mundo, seu comércio movimenta grandes somas de dinheiro todos os anos em um mercado crescente. No Brasil, grandes orquidários no Sudeste já produzem centenas de milhares de plantas por ano, que são exportadas para outros países ou vendidas até em supermercados, principalmente a Phalaenopsis, uma planta conhecida por se adaptar bem em apartamentos.


quarta-feira, 21 de junho de 2017

21/06 - Mt 6,1-6. 16-18

21 de Junho de 2017


evandia

Mateus 6,1-6. 16-18

“Cuidado! Não pratiqueis vossa justiça na frente dos outros, só para serdes notados. De outra forma, não recebereis recompensa do vosso Pai que está nos céus. Por isso, quando deres esmola, não mandes tocar a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos outros. Em verdade vos digo: já receberam sua recompensa. Tu, porém, quando deres esmola, não saiba tua mão esquerda o que faz a direita, de modo que tua esmola fique escondida. E o teu Pai, que vê no escondido, te dará a recompensa. Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de orar nas sinagogas e nas esquinas das praças, em posição de serem vistos pelos outros. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai que está no escondido. E o teu Pai, que vê no escondido, te dará a recompensa. Quando jejuardes, não fiqueis de rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para figurar aos outros que estão jejuando. Em verdade vos digo: já receberam sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os outros não vejam
que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está no escondido. E o teu Pai, que vê no escondido, te dará a recompensa”.




            Entendendo


“NÃO PRATIQUEIS VOSSA JUSTIÇA NA
FRENTE DOS OUTROS, SÓ PARA SERDES NOTADO”

Três práticas eram valorizadas na religiosidade judaica: jejum, esmola e oração.

Cada uma delas estabelecia um tipo de direção: O jejum, a dimensão pessoal, a pessoa com ela mesma trabalhando instintos e paixões para aperfeiçoar a prática com Deus. A esmola, a relação com o próximo, especialmente o próximo carente, cumprindo a prática da caridade. E a oração, que trabalha a relação amorosa com Deus, de forma dialogal.

Jesus aconselhava seus discípulos a cumprirem tais práticas, mas percebia que os desvios na execução desses gestos eram grandes, a ponto de se tornarem meios de promoção pessoal. 

Cumprir somente essa prática para ser reconhecido pelas pessoas era inútil e revelava uma motivação hipócrita. A piedade, neste caso, não atingia seu objetivo. No entanto, quando praticada de maneira sincera e discreta era observada pelo Pai, de quem se teria a verdadeira recompensa.




Atualizando


FAZER O BEM SEM ESPERA TROCA,
É UMA MANEIRA DE ENCONTRAR A FELICIDADE

Encontrei na internet a seguinte frase: “Fazer o bem sem olhar à quem e não esperar nada em troca, é uma maneira de encontrar a felicidade”. Eu não sei se a autora do site conhece um pouco da identidade do homem criada por Deus, mas ela conseguiu entender que a nossa felicidade está nessa entrega ao outro. Isso acontece porque quando vivemos assim, estamos realizando o plano de Deus para nossas vidas, estamos fazendo e vivendo o que somos feitos para fazer e viver.

Tentando colocar uma imagem para exemplificar essa realidade, podemos pensar em um carro que é movido a gasolina. Se colocamos álcool no tanque, o que vai acontecer? O carro não vai funcionar direito. Isso acontece quando enchemos nossa vida com o egoísmo, podemos até andar um pouco, mas vamos engasgar e cedo ou tarde o motor vai pifar. Por outro lado, quando o tanque fica cheio de gasolina, o carro funciona bem. Qual seria então o nosso combustível? O amor. Quando amamos de verdade, as coisas cobram sentido, experimentamos uma vida vivida a plenitude, percebemos que, apesar das dificuldades, vamos pelo caminho certo.

Agora, a segunda parte da frase, “e não esperar nada em troca”, merece uma atenção especial. Quer dizer que eu não ganho nada se vivo o amor? São João da Cruz responde dizendo que o amor é o pagamento do próprio amor. Ou seja, quando amamos, nos experimentamos realizados e, em outras palavras, não queremos esperar nada em troca porque já possuímos tudo o que necessitamos.

São Bernardo resume tudo isso de maneira muito mais bonita e clara quando diz: “Vocês querem então saber de mim por qual motivo e em que medida nós devemos amar a Deus? Pois bem, eu vos direi que o motivo do nosso amor por Deus, é Ele mesmo, e que a medida deste amor é amar sem medida”.

Irmão João Antônio Johas Leão
Videos

Seguir por E-mail